Diários de Einstein revelam racismo e xenofobia desconhecidos

Registros pessoais do cientista mais famoso do mundo mostram a forma como ele descrevia povos e áreas que conheceu na Ásia e no Oriente Médio nos anos 1920. Albert Einstein escreveu os diários entre outubro de 1922 e março de 1923
AFP/Getty
“Pessoas industriosas, imundas e obtusas.”
Diários de viagens recentemente publicados revelam visões racistas e xenofóbicas do físico alemão Albert Einstein, cientista mais famoso do mundo e “pai” da Teoria da Relatividade – que chegou a se engajar, contraditoriamente ou não, na luta contra o racismo que enxergava, no século 20, nos Estados Unidos.
Escritos entre outubro de 1922 e março de 1923, Leia tudo…

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!