Como um arbusto nascido em lugar inesperado levou a corpos de desaparecidos 32 anos antes

Uma figueira nascida numa terra árida e imprópria para esse tipo de vegetação chamou a atenção de um antropólogo forense. Um depoimento que relatava que um dos desaparecidos havia comido um figo antes de sumir ajudou a fechar o quebra-cabeças. Esse é o arbusto encontrado na praia de Episkopi que foi o ponto de partida para a descoberta dos corpos de três homens desaparecidos há 32 anos
Cortesia/Xenophon Kallis/BBC
Para os antropólogos forenses, quase qualquer detalhe conta na busca e identificação de pessoas desaparecidas: um monte de terra, uma tatuagem, um dente solto…
No caso da história a seguir, a peça que Leia tudo…

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!